É incrível ver como a tecnologia avançou a ponto do homem ter planos concretos para colonizar Marte, como também chegar até o Sol. Até alguns anos atrás, realizações desse tipo eram consideradas inviáveis, afinal, não tínhamos tantos dados e informações como hoje. Mas, como atualmente os avanços tecnológicos vem progredindo com tanta rapidez junto ao conhecimento do Homem, talvez seja possível realizarmos algumas das metas que carregamos ao logo da história e, inclusive, tornarmos nosso planeta vizinho a segunda casa da humanidade.

Ainda esse ano, cientistas descobriram a existência de um reservatório subterrâneo permanente de água líquida em Marte, o que, para especialistas, aumenta consideravelmente as chances de existência de vida no planeta vermelho. Então, por que não colonizarmos Marte agora? Infelizmente, essa não é uma missão tão simples para nós, seres humanos. É bom termos em mente que, apesar da tecnologia de ponta, das 54 missões feitas pela Nasa com o objetivo de chegar até Marte, apenas 23 foram bem sucedidas, visto que a trajetória até lá é complexa e o pouso é muito arriscado.

Você deve estar se perguntado: por que Marte? Bom, porque além de ser um dos planetas mais próximos a nós, Marte tem quase o mesmo tamanho da Terra. Além disso, é muito frio, mas nada que não possamos contornar, afinal de contas há lugares como Alasca e Sibéria, por exemplo, quase tão frios quanto nosso planeta vizinho. Sabendo sobre essas características de Marte, podemos definir o que deveria mudar para torná-lo humanamente habitável: a camada deveria ser mais grossa e substancialmente alterada, assim como a temperatura deveria aumentar bastante.

Alexandre Amaral de Moura- O homem poderá colonizar Marte no futuro?

Tornar Marte habitável para a nossa espécie é um desafio que demanda muito estudo, dinheiro, paciência e tempo.

Com isso, concluímos que as peças-chave para colonizarmos Marte no futuro são:

1) O aquecimento global controlado.

2) A presença de Bactérias.

Vou explicar passo a passo a função de cada um deles nesse processo: antes de tudo seria utilizada uma frota de satélites com espelhos que amplificassem a luz do sol e tornassem o planeta mais quente. Depois disso, com o aumento exponencial de temperatura, o gás carbônico das calotas polares começaria a derreter e chegaria na atmosfera. Por que isso é bom? Pois iria ajudar a reter o calor do Sol perto da superfície e aumentaria a pressão da atmosfera para favorecer a presença de água líquida.

Em seguida, micro-organismos como as cianobactérias seriam introduzidos em Marte, que ao se reproduzirem e se multiplicarem, devem tornar o ar do planeta vermelho mais respirável para os seres humanos. Falando dessa forma parece algo simples e relativamente rápido, mas não é. Tornar um planeta do sistema solar habitável para a nossa espécie é um desafio que demanda muito estudo, dinheiro, paciência e tempo. No entanto, o resultado disso a longo prazo será um marco que mudará o rumo da humanidade para sempre, já que os homens começarão uma nova história em um lugar naturalmente inabitável no meio do sistema solar. Tudo graças à tecnologia.